Aula inaugural reúne profissionais da educação

Aula inaugural reúne profissionais da educação nesta quinta (07)
7 DE FEVEREIRO DE 2013 em NOTÍCIAS

Abertura do ano letivo 2013 debate o Currículo em Movimento, nova proposta pedagógica para este ano. O governador do DF, Agnelo Queiroz e secretário de Educação, Denilson Bento da Costa, recepcionaram os educadores para o início das aulas

A Secretaria de Educação do Distrito Federal realizou nesta quinta-feira (07) a aula inaugural com os professores da rede pública de ensino para a abertura do ano letivo 2013. O evento foi realizado nos três turnos, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, com a presença do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira dama Ilza Queiroz; do secretário de Educação, Denilson Bento da Costa e da secretaria Adjunta de Educação, Maria Luiza Fonseca do Valle.

Dentre os presentes, estavam também a secretária da Mulher, Olgamir Amâncio; o deputado federal Roberto Policarpo; a secretária de Comunicação, Samanta Sallum; a representante do Ministério da Educação, Sandra Garcia; e a deputada distrital Luzia de Paula, entre outras autoridades.

O secretário deu boas vindas aos profissionais da educação e ressaltou os ajustes que estão sendo feitos nas escolas, como a implantação do Currículo em Movimento 2013. “A proposta precisa do olhar dos professores e de uma participação efetiva. Temos obrigação com a formação dos nossos alunos e estamos investindo na formação dos nossos gestores”.

De acordo com o professor Denilson, em 2012, foram destinados às escolas R$ 70 milhões do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF). Para este ano, estão previstos cerca de R$ 100 milhões do PDAF. “Queremos uma escola que seja autônoma em sua gestão, que possa administrar os recursos aplicando em suas necessidades”.

O secretário convidou os docentes a trabalharem juntos na construção de uma educação que diminua as desigualdades, que possibilite o desenvolvimento do pensamento crítico e que problematize a realidade. “Buscamos estabelecer o princípio do direito às aprendizagens por meio da avaliação formativa, visando assegurar novos tempos e espaços de construção, partindo do trabalho diversificado em sala de aula”, finalizou.

O governador Agnelo ressaltou que 2013 será um ano letivo especial para a educação. Ele anunciou que, a partir do dia 25 de fevereiro, 130 mil alunos da rede pública de ensino, filhos de beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF), receberão o Cartão Material Escolar para compra de materiais escolares diretamente nas papelarias do DF. A iniciativa é do Governo do Distrito Federal, por meio das Secretarias de Educação e Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária. O cartão será fornecido pela Bando de Brasília (BRB).

De acordo com o governador, o valor a ser creditado a cada beneficiado varia conforme a modalidade de ensino do aluno. Para o ensino fundamental (1º ao 5º ano) o valor será de R$ 323, e R$ 228 do 6º ao 9º ano. Os estudantes do ensino médio receberão a quantia de R$ 202.

“Com cartão, as famílias vão às papelarias credenciadas e compram seu próprio material. O programa também visa beneficiar a economia do DF, fomentando a atividade comercial das micro e pequenas empresas, aumentando consequentemente a arrecadação fiscal e a geração de emprego”, ponderou.

O governador também citou as conquistas de 2012 e a continuidade dos projetos como o Café da Manhã nas Escolas, o DF Alfabetizado, a ampliação da oferta da educação integral, os kits de higiene bucal, o transporte escolar, a desburocratização do Passe Estudantil e a convocação de 1.688 de professores concursados, a maior contratação de uma só vez na história do DF.

O evento contou ainda com a participação de dois palestrantes a professora e pesquisadora da Universidade de Brasília, Benigna Villas Boas; e o professor Carlos Abicalil, consultor da liderança do governo no Senado Federal. A pesquisadora dissertou sobre os desafios da Avaliação na Organização da Escolaridade em Ciclos. Para ela, os ciclos não são simples agrupamentos de anos ou séries, mas que constituem uma maneira flexível de organização da escolaridade, levando em conta a conquista das aprendizagens pelos alunos.

“É uma construção pela escola com envolvimento dos pais e estudantes. Os ciclos são a categoria chave no trabalho pedagógico. Os professores exercem o papel de intervir nas aprendizagens de cada estudante”, afirmou.

Para o professor Carlos Abicalil, o projeto político-pedagógico se orienta no caminho solidário que se deve percorrer juntos pela transformação. “Está sendo proposto um currículo por área de conhecimento. Oportunidade que os professores têm de estarem mais próximos ao aluno”.

Veja as fotos da aula inaugural

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: