Alunos com deficiência contam com transporte escolar acessível


O estudante Antônio Felipe da Silva, 20 anos, tem deficiência física e intelectual e não mora perto da escola, mas vai à aula todos os dias sem dificuldades. Ele é um dos beneficiados pelo projeto “Transporte Escolar Acessível”, do programa “Caminho da Escola”, que visa suprir a demanda por condução adaptada para que a frequência nas salas de aula de alunos com deficiência aumente. Pelo menos dois mil alunos – todos da rede pública de ensino – são beneficiados com o serviço atualmente no DF.

Além de Felipe, outros 19 estudantes são transportados diariamente para o Centro de Ensino Especial 1, em Sobradinho, por um micro-ônibus que chegou no mês passado. A viagem, antes feita por uma van, ficou mais rápida e confortável, segundo Felipe. “Gosto de vir à escola todos os dias, sem falta, e agora é melhor porque é mais fácil subir”, conta, referindo-se à plataforma elevatória, que facilita a acomodação da cadeira de rodas.

O “Caminho da Escola” existe na capital do país há cerca de dois anos e oferece soluções de transporte escolar para alunos da educação básica. Com base no programa, o “Plano Viver sem Limite DF” estabeleceu o projeto “Transporte Escolar Acessível”, que garante que parte dos veículos seja adaptada. Com a exigência, mais de 30 conduções acessíveis foram adquiridas.

“A política de adequar os transportes públicos para pessoas com deficiência já existe. A exigência do ‘Viver sem Limite’ foi estabelecida para acelerar essa adaptação”, explicou o coordenador do Departamento de Educação Inclusiva da Secretaria de Educação, Antônio Leitão.

Para a cabeleireira e mãe de Antônio Felipe, Marlene Pereira, 42 anos, o transporte entre a casa e a escola é essencial para que o filho continue a treinar a coordenação motora.

“Coloquei o Felipe na escola desde pequeno porque quero que ele aprenda muito e não perca o que já estudou, mas não posso levar todo dia, é muito difícil. Com a van já era bom, agora ficou melhor ainda com esse elevador que levanta a cadeira de rodas”, contou.

Veículos

Os veículos foram adquiridos com financiamento do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do GDF e do Ministério da Educação, e são gerenciados pela Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB).

A estrutura é composta por plataforma elevatória; áreas para cadeira de rodas com ocupante e/ou cão guia; poltronas com cinto de segurança subabdominal; sistema de comunicação para alunos com deficiência visual ou auditiva; e comunicação visual interna e externa, com linguagem específica e sinalização tátil.

O “Plano Viver sem Limite DF” foi elaborado pelo Grupo de Articulação e Monitoramento da Política Pública para as Pessoas com Deficiência, que é coordenado pela Casa Civil e pela Sejus. Tem como objetivo qualificar as políticas públicas de inclusão para garantir a integração de programas e ações que proporcionem, de forma equitativa, os direitos das pessoas com deficiência.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: