Agnelo quer comparação com governo anterior


Agnelo quer comparação com governo anterior

Governador diz que irá mostrar como pegou a cidade e como ela está hoje

O governo Agnelo Queiroz (PT) escolheu o Mercadão do Núcleo Bandeirante para cumprir a agenda de campanha à reeleição. Durante a visita foi recebido por militantes do partido e aproveitou o horário de almoço, já que divide sua agenda de campanha com as obrigações de governo, para ouvir os comerciantes do local.

Agnelo também levantou a bandeira da comparação. Durante o debate eleitoral, avisou, quer fazer um balanço de seu governo com as gestões anteriores. O candidato garantiu que não está preocupado com os ataques dos adversários, mas que quer recordar ao eleitor como estava a capital quando assumiu.

“Eu vou ter a oportunidade, durante a campanha, de mostrar tudo o que eu fiz, podendo comparar meu governo com o anterior ou qualquer outro governo da história do Distrito Federal. Quero comparar e mostrar que todos os indicadores são melhores, mesmo depois de termos pego a cidade arrasada, no descaso, na imoralidade e na situação que essa estava quando assumi o governo”, afirmou o governador.

Paralisação

Em relação à paralisação dos trabalhadores terceirizados da educação que fazem a limpeza das escolas, em pleno o período de campanha, Agnelo não quis politizar. O governador firmou que os funcionários têm de trabalhar e que a responsabilidade da execução do serviço não é mais do governo e sim das empresas contratadas por ele. “A situação já está resolvida. As empresas terceirizadas têm é que trabalhar, do contrário tomarão multas para cumprir suas obrigações, porque são terceirizadas e têm de cumprir com o contrato. Elas receberam o pagamento, mas mesmo que não recebessem elas não podem parar de trabalhar, senão vamos romper o contrato”, ameaçou Agnelo, que garantiu que o pagamento foi feito.
Pitiman fica na Câmara para votar projetos

Candidato a governador pelo PSDB, o deputado federal Luiz Pitiman começará o dia de hoje ouvindo uma palestra do médico Augusto Cury, autor de uma longa série de livros na faixa da auto-ajuda. O tema será Escola da Inteligência: Educando a Emoção e Formando Pensadores. Depois, participará do esforço concentrado do Legislativo.
Foi, a propósito, o que fez ontem o candidato. Na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, votou pela aprovação, que saiu por unanimidade, do projeto que prevê a redução da jornada de trabalho dos profissionais de psicologia, em todo o território nacional, para 30 horas, sem redução de salários.

Para 40 mil

O projeto atende a 40 mil psicólogos que trabalham no Sistema Único de Saúde (SUS), além de 20 mil que trabalham diretamente na área de assistência social, de acordo com levantamento do Conselho Federal de Psicologia (CFP), entidades sindicais e Associação Brasileira de Ensino de Psicologia (Abep).

Há seis anos tramitando no Congresso, o projeto das 30 horas é uma antiga reivindicação da categoria. Após essa aprovação, o texto já seguirá para sanção presidencial. Caso assinada pela presidente Dilma, a medida valerá para todos os psicólogos do funcionalismo.

“Sabemos que 30 horas é a favor da qualidade dos serviços prestados à sociedade”, disse o presidente do Sindicato dos Psicólogos no Estado de São Paulo, Rogério Giannini.

Arruda assegura apoio para Aécio

O candidato ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda (PR), afirmou, durante comício em São Sebastião, que se depender dele o Partido dos Trabalhadores (PT) sai de Brasília e do Brasil. “Eu voto no Aécio Neves”, disse.
Ao lado do postulante a vice-governador do DF, Jofran Frejat (PR), ele ainda assumiu o compromisso de realizar umas das principais reinvidicações dos moradores da região: a construção do Hospital Regional de São Sebastião.

Aproximadamente 300 pessoas acompanharam o comício, que teve início por volta das 19h30, no bairro Morro da Cruz, local que sofre com a falta de infraestrutura, como asfalto e saneamento básico.

Por isso, Arruda afirmou ainda que, caso seja eleito, já no dia 1° de Janeiro de 2015 – data da posse -, ele vai entrar no Residencial Vitória e no Morro da Cruz para fazer a infraestrutura. “Podem filmar. Peço a vocês que filmem o que eu estou dizendo”, repetia.

Depois de citar algumas de suas obras na região, como asfaltos, postos militares e escolas, o candidato ressaltou: “Trabalhei ou não trabalhei? Mas eu fui governador só três anos. Agora, o outro foi governador quatro anos e vocês lembram de alguma coisa que ele fez?”. A resposta, ele mesmo deu: “Eu lembro só de uma: propaganda”. O discurso durou aproximadamente uma hora.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: