Adriane Galisteu trabalha de graça na Record: “Estou aqui no amor mesmo” Apresentadora lança o “Domingo da Gente”


Adriane Galisteu trabalha de graça na Record: “Estou aqui no amor mesmo”
Apresentadora lança o “Domingo da Gente” e conta que não recebeu salário para assumir o comando da atração: “Não estou contratada nem para esse trabalho”
Juliana Moraes , iG Gente

Adriane Galisteu, Ticiane Pinheiro, Scheila Carvalho e Vildomar Batista na coletiva de “Domingo da Gente”. Foto: Edu Moraes/Divulgação TV Record
1/6

Adriane Galisteu participou da coletiva de imprensa do programa “Domingo da Gente” nesta segunda-feira (4), na sede da Record, em São Paulo. A atração, que estreia neste domingo (10) e vai ao ar das 11h às 15h, é dirigida por Vildomar Batista e conta com um rodízio de apresentadores nas 15 edições. Além de ser a única convidada a repetir o comando do dominical, Adriane é quem estará à frente da atração na estreia.

“O Vildomar me ligou e fiquei superfeliz, porque achei um desafio. Voltar a pisar aqui depois de tanto tempo foi maravilhoso”, comentou a apresentadora, que não recebeu salário para ir ao ar pela Record. “Não estou contratada nem para esse trabalho. Estou aqui no amor mesmo. No carinho. Mas, aliás, quantas vezes já trabalhei de graça e quantas vezes vou continuar trabalhando? A equipe inteira que está fazendo o ‘Domingo da Gente’ está junta nesse barco. Ninguém recebeu. Lógico que eles me fizeram uma proposta para eu não ter uma carga horária enorme de trabalho. Mas se eu topei, topei feliz e consciente de tudo. Encarei esse convite como um job”, explicou ela.

“Já quebrei tanto a minha cara que não me empolgo mais”

Apesar da dedicação e da vontade de ganhar um programa na Record, Adriane garante que não cria expectativas para não se frustrar. “Não me empolgo com essas notícias que saem de que vou ficar, simplesmente porque não conto com o ovo lá na galinha, né? Já quebrei tanto a minha cara que não me empolgo mais”, brincou ela. “Mas sou ariana e sei que o que faço é bem feito. Não comecei ontem. Sei que faço o meu trabalho e preciso melhorar sempre, mas segurar a onda, eu seguro. O que me mandam fazer, sei fazer. Vestir a camisa é uma coisa que as pessoas sabem que visto. Conto com um trabalho bem feito”, completou ela, que disse ainda ter a certeza de que “mais cedo ou mais tarde” estará novamente no ar.

“Queria voltar (para a Record) e mostrar para todos o quanto cresci profissionalmente”

Entre os anos de 2000 e 2003, Galisteu comandou o programa “É Show” na Record, deixando a emissora para comandar o “Charme”, do SBT, Segundo ela, as mudanças foram necessárias para o seu amadurecimento. “Arrependimento é um negócio que não tenho na minha vida, porque senão não saio de casa com o tanto de besteira que falo na minha vida”, divertiu-se ela. “Sempre fiz as minhas escolhas tentando acertar. Cresci muito trabalhando com o Silvio Santos porque ele é um grande comunicador, mas sinto falta de trabalhar na Record, sim. Vivi anos muito felizes da minha vida aqui. Queria voltar e mostrar para todos o quanto cresci profissionalmente. Sou uma profissional melhor, a gente não aprende em um mar de rosas, aprendi na luta”, comentou.

Participação no programa de Ana Hickmann

Nesta segunda-feira (4) foi veiculada a informação de que Adriane Galisteu teria gravado uma participação no “Programa da Tarde”, apresentado por Ana Hickmann , mas a entrevista teria sido vetada devido a um desentendimento que elas tiveram no ano passado. No entanto, Adriane nega a informação. “Não gravei, nunca nem me convidaram para gravar o programa da Ana Hickmann. Isso não aconteceu, mas gravaria se tivesse o convite.”

Sempre disposta a trabalhar

A apresentadora é sempre vista em eventos comerciais, em participações de programas e frequentemente à frente de atrações. De acordo com Adriane Galisteu, recusar trabalho é uma opção que não passa por sua cabeça. “É muito difícil eu falar não para trabalho. Essa semana ainda vou para alguns lugares do Brasil, vou para Miami a trabalho, estou em cartaz no teatro, tenho filho. Todo mundo sabe que eu ralo mesmo.”

“Não sou uma mulher bipolar, ou estrela, ou esquisita.”

A apresentadora ainda leva na brincadeira as notícias de que seria uma profissional geniosa, difícil de trabalhar. Para ela, o importante é realizar as suas tarefas com perfeição. “Sou uma mulher séria no meu trabalho e quero que as pessoas façam a parte delas bem feita. Sou exigente mesmo. Não sou essa mulher de gênio tão forte. Só exijo que as pessoas deem o seu melhor porque dou sempre o meu melhor. Mas sempre fui assim, só não sou uma mulher bipolar, ou estrela, ou esquisita.”
Edu Moraes/Divulgação TV Record

Adriane Galisteu não ganhou dinheiro na gravação do programa

Novela com a Band

Em maio deste ano, a Band não renovou o contrato com Adriane Galisteu. Apesar disso, a apresentadora deixou o reality show “Quem Quer Casar com Meu Filho?” com 13 episódios inteiramente gravados. A previsão é de que a atração vá ao ar em janeiro de 2014, em substituição ao “Mulheres Ricas”, que teve sua terceira edição cancelada. “Essa novela com a Band não tem fim. A última vez que fiquei sabendo é que o programa entraria no ar em janeiro, mas já chegaram a falar em fevereiro”, disse. “O fato de aparecer em duas emissoras ao mesmo tempo não me incomoda, mas se eu estiver contratada, aí já é um problema dos departamentos jurídicos, não meu”, completou.

Para ela, o único problema em exibir praticamente um ano depois da gravação é que as pessoas a veem em muitos eventos e não a reconhecerão no ar. “Só acho que eles deveriam ter passado esse programa enquanto eu ainda estava lá. Fiquei lá tanto tempo, isso não faz muito sentido. Mas não sou eu que escolho. Só não entendi o motivo de demorarem tanto, se o programa já estava pronto. Até porque já estou diferente. Meu cabelo e tudo mais, estou uns 5 quilos mais magra. Enfim, fica com cara de um programa um pouco mais antigo.”

Adriane disse ainda que tentou negociar com a Band, mas eles não quiseram renovar o contrato por falta de interesse. “O DNA da Band sempre foi o esporte e cada vez mais eles querem falar com esse público. Sou uma mulher que fala com mulher. Ainda propus fazer uma mesa redonda só de mulheres que não entendem nada falando sobre futebol. Seria um ‘toró de palpite’. Mas foi isso. Acabou o contrato e eles não se interessaram mais em falar com o público que eu falava.”


About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: