Líder do DEM na Câmara deve entrar com ação após citação em gravação

pauderney-avelino-lider-do-demLíder do DEM na Câmara deve entrar com ação após citação em gravação

Pauderney é citado em conversa entre Sérgio Machado e Renan Calheiros.
Em entrevista, Pauderney chama Machado de “vagabundo” e “desprezível”.

Após ser citado em conversa do ex-diretor da Transpetro e delator da Operação Lava Jato, Sérgio Machado, e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o deputado federal Pauderney Avelino (DEM-AM) declarou que vai entrar com uma interpelação judicial contra Machado. Ao G1, o líder do Democratas (DEM) na Câmara Federal ainda chamou Machado de “vagabundo” e de um “ser desprezível”.

Em entrevista por telefone, Avelino declarou aoG1 que considerou a citação de seu nome na conversa uma situação “sem pé, nem cabeça”.Na gravação, Machado diz que “um cara mas corrupto que aquele não existe”, sobre o líder do DEM.

“É uma situação sem pé nem cabeça, onde esse vagabundo [Sérgio Machado] fica falando de político de modo geral e me cita porque eu combato a corrupção, combato o que o PT fazia e qualquer outro partido. Então, o que eu tenho a dizer é que ele é um ser desprezível e que ficou 12 anos como presidente duma estatal onde o Lula era chefe dele. E aí é que tá, tá até desprezando a importância da Lula, porque se ele diz que sou o maior corrupto do mundo, o que dizer do Lula?”, disse o líder do DEM.

Avelino afirmou que acionou a assessoria jurídica do DEM e que deve entrar com uma interpelação judicial contra Sérgio Machado.

“Eu não conheço ele, mas sei que tá fazendo a delação premiada pra tentar se desvencilhar da cadeia, mas vai ele, o chefe dele, vai todo mundo pra cadeia. E eu, ele vai ter que provar, estarei entrando com uma interpelação judicial contra ele na Justiça Federal. Já acionei a assessoria jurídica do partido que vai entrar com essa ação penal contra ele”, garantiu.

Em sua página oficial no facebook, o líder do DEM divulgou nota onde afirma que repudia as declarações de Sérgio Machado e que a gravação mostra o “desespero de alguém que dificilmente escapará da Operação Lava Jato”.

Pauderney Avelino divulgou nota oficial sobre o caso nas redes sociais  (Foto: Reprodução/ Facebook)Pauderney Avelino divulgou nota oficial sobre o caso nas redes sociais
(Foto: Reprodução/ Facebook)

Citação

O nome de Pauderney Avelino é citado em conversa gravada no dia 11 de março, onde o ex-presidente da Transpetro e Renan Calheiros criticam o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Os dois falam em “fórmula de dar um chega pra lá nessa negociação ampla, para poder segurar esse pessoal”, dando a entender de que tratavam dos investigadores da Lava Jato. Os dois fazem críticas a vários políticos no diálogo.

Também são citados o senador Aécio Neves, presidente do PSDB Mendoncinha”, como é chamado o agora ministro da Educação, deputado Mendonça Filho (DEM-PE); senador José Agripino (RN), presidente do DEM; senador Fernando Bezerra (PSB-PE); senador José Serra, do PSDB, atual ministro das Relações Exteriores, e a agora presidente afastada Dilma Rousseff.

Leia trechos da conversa:

SÉRGIO MACHADO: Agora esse Janot, Renan, é o maior mau caráter da face da terra.

RENAN: Mau caráter! Mau caráter! E faz tudo que essa força-tarefa (Lava jato) quer.

SÉRGIO MACHADO: É, ele não manda. E ele é mau caráter. E ele quer sair como herói. E tem que se encontrar uma fórmula de dar um chega pra lá nessa negociação ampla pra poder segurar esse pessoal (Lava Jato). Eles estão se achando o dono do mundo.

RENAN: Dono do mundo.

SÉRGIO MACHADO: E o PSDB pensava que não, mas o Aécio agora sabe. O Aécio, Renan, é o cara mais vulnerável do mundo.

RENAN: É…

SÉRGIO MACHADO: O Aécio é vulnerabilíssimo. Vulnerabilíssimo! Há muito tempo.

SÉRGIO MACHADO: Como que você tem cara de pau, Renan, aquele cara Pauderney que agora virou herói. Um cara mais corrupto que aquele não existe, Pauderney Avelino.

RENAN: Pauderney Avelino.

RENAN: Mendocinha.

SÉRGIO MACHADO: Mendocinha, todo mundo pô? Que *** é essa querer ser agora o dono da verdade?

SÉRGIO MACHADO: O Zé (Zé Agripino) é outro que pode ser parceiro, não é possível que ele vá fazer maluquice.

RENAN: O Zé, nós combinamos de botá-lo na roda. Eu disse ao Aécio e ao Serra. Que no próximo encontro que a gente tiver tem que botar o Zé Agripino e o Fernando Bezerra. Eu acho.

SÉRGIO MACHADO: O PSB virou uma oposição radical. O Zé não tem como não entrar na roda.

RENAN: O PSB quer o impeachment, mas o Fernando (Bezerra) é um cara bom.

SÉRGIO MACHADO: Porque também entende disso que a gente está falando.

RENAN: É.

SÉRGIO MACHADO: Porque tem que tomar cuidado porque esse *** desse Noblat [se referindo ao colunista Ricardo Noblat, do jornal “O Globo”] botou que essa coisa de tirar a Dilma é maneira de salvar os corruptos.

RENAN: Tirar a Dilma? Manter a Dilma?

SÉRGIO MACHADO: Tirar a Dilma. Que é um processo de salvação, de salvação.

RENAN: Que é a lógica que ela fez o tempo todo.

SÉRGIO MACHADO: É porque esse processo. Porque Renan vou dizer o seguinte: dos políticos do congresso se “sobrar” cinco que não fez é muito. Governador nenhum. Não tem como, Renan.

RENAN: Não tem como sobreviver.

SÉRGIO MACHADO: Não tinha como sobreviver.

RENAN: Tem não.

SÉRGIO MACHADO: Não tem como sobreviver. Porque não é só, é a eleição e a manutenção toda do processo.

RENAN: É.

http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2016/05/lider-do-dem-na-camara-deve-entrar-com-acao-apos-citacao-em-gravacao.html

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: