Entrevista: João Hermeto de Oliveira Neto

  Ailane Silva, da Agência Brasília

Entrevista: João Hermeto de Oliveira Neto Foto: Pedro Ventura
Na série semanal de entrevistas com administradores regionais, João Hermeto de Oliveira Neto detalha ações que vem promovendo na Candangolândia
Neste mês, o administrador da Candangolândia, João Hermeto de Oliveira Neto, ganhou espaço na imprensa do DF por conseguir manter as placas da cidade limpas graças a um removedor de pichação. Amanhã, ele apresentará outra novidade. Criada para atender às exigências da Lei de Acesso à Informação, que está em vigor desde 16 de maio, a sala da transparência disponibilizará todos os dados sobre gastos, ações e processos da administração regional. “Além disso, haverá uma atendente que está sendo treinada pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle Social para receber todas as demandas da comunidade, sejam elas dúvidas, orientações, questionamentos e reclamações”, explica o administrador.

Em entrevista à AGÊNCIA BRASÍLIA, ele detalha essa iniciativa e demais ações que vem promovendo na cidade.

1 – Será inaugurada amanhã uma sala da transparência na sede da administração regional. Como ela funcionará?
Estamos inaugurando a primeira Sala de Transparência da Administração, criada em função da nova Lei de Acesso à Informação. O nosso objetivo é dar transparência e mostrar à população o que fazemos com o dinheiro que ela paga em seus impostos. Acredito que esta seja a administração pioneira a criar um espaço como esse. No local, haverá um mural com gráficos e informativos com os gastos e ações da administração como, por exemplo, processos licitatórios; consumo de energia, água e telefone; funções de cada servidor; orçamentos; o que recebemos de recurso e com o que gastamos. Além disso, haverá uma atendente que está sendo treinada pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle Social para receber todas as demandas da comunidade, sejam elas dúvidas, orientações, questionamentos e reclamações. Quero ressaltar aqui que o contato será direto. Os moradores vão conversar com a ouvidora. Se for preciso, ela convocará o gerente ou funcionário da área específica para esclarecer as informações. Se não for possível atender a demanda no mesmo momento, daremos um prazo para que a pessoa volte lá e saia com as informações solicitadas. Caso seja necessário, também ampliaremos o número de atendentes e o espaço. À medida que saírem novas orientações sobre a regulamentação da lei, vamos aperfeiçoar os trabalhos. A população será muito bem recebida. A sala vai funcionar na própria administração, das 8h às 12h, e das 14 às 18h. A inauguração será amanhã, a partir das 9h30.

2 – Como é a sua relação com a comunidade?
Nós interagimos com a comunidade. Saio de moto pelas ruas  levando papel e caneta para ouvir a população e anotar tudo o que a cidade está precisando. Todas as sugestões, reclamações, dúvidas e solicitação são levadas a cada área competente. O resultado é imediato. Esse serviço, que ganhou o nome de disque-administrador, também disponibiliza um número de celular (8419-9287) para que as pessoas liguem e falem diretamente comigo. Se for necessário, vou até o local para conversar com o morador. É um contato direto com a comunidade.

3 – O que foi feito para melhorar a infraestrutura da cidade?
Nós criamos o Projeto Praça Sua Praça. Todas as quartas-feiras, os servidores da administração regional deixam suas pastas democráticas e vão até as praças da cidade consertar e fazer a manutenção do que está quebrado ou precisando de revitalização. São cerca de 40 funcionários que se dedicam voluntariamente para esse trabalho.  Enquanto isso, as mulheres dão andamento aos serviços administrativos para que nada fique parado. Os moradores também participam. O centro de lazer foi reformado. O local ganhou um campo de grama sintética para as escolinhas de futebol da Candangolândia, uma academia coberta para proteger do sol e da chuva, churrasqueiras recuperadas e  vários pontos iluminados. Nós também construímos mais de 500 m de calçada na passagem da Candangolândia para o Núcleo Bandeirante, ponto em que as pessoas arriscavam sua vida para fazerem a travessia. 

4 – Há mais algum projeto para a cidade?
Vamos receber um Complexo Esportivo na cidade em até dois meses. O espaço terá um campo de futebol sintético semioficial, com arquibancadas, vestiários e academia. A área construída, com o apoio da Secretaria de Obras, é de aproximadamente 400m². O investimento é de R$ 700 mil.

About A Politica e o Poder

%d blogueiros gostam disto: